CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

Pages

ADIEMUS FELIZ

AMIGOS ADIEMUS

Nº DE ACESSOS

MINHA FLOR PREFERIDA

MINHA FLOR PREFERIDA

domingo, 8 de maio de 2011

A COBRANÇA


A COBRANÇA


Depois de um dia de caminhada pela mata, mestre e discípulo retornavam ao casebre, seguindo por longa estrada.
Ao passarem próximo a uma moita de samambaia, ouviram um gemido. Verificaram e descobriram um homem caído. Estava pálido e com uma grande mancha de sangue, próxima ao coração.
Tinha sido ferido e já estava próximo da inconsciência.
Com muita dificuldade, mestre e discípulo o carregaram para o casebre rústico, onde viviam. Lá trataram do ferimento.
Uma semana depois, já restabelecido, o homem contou que havia sido assaltado e que ao reagir fora ferido por uma faca.
Disse também que conhecia seu agressor, e que não descansaria enquanto não se vingasse.
Disposto a partir, o homem disse ao sábio:

"Senhor, muito lhe agradeço por ter salvado a minha vida. Tenho que partir e levo comigo a gratidão por sua bondade. Vou ao encontro daquele que me atacou e vou fazer com que ele sinta a mesma dor que senti."

O mestre olhou fixo para o homem e disse:

 "Vá e faça o que deseja. Entretanto, devo informá-lo de que você me deve três mil moedas de ouro, como pagamento pelo tratamento que lhe fiz."

O homem ficou assustado e disse:

 "Senhor, é muito dinheiro. Sou um trabalhador e não tenho como lhe pagar esse valor!"

Com serenidade, tornou a falar o sábio:

"Se não pode pagar pelo bem que recebeu, com que direito quer cobrar o mal que lhe fizeram?"

O homem ficou confuso e o mestre concluiu:

"Antes de cobrar alguma coisa, procure saber quanto você deve.

Não faça cobrança pelas coisas ruins que aconteçam em sua vida, pois a vida pode lhe cobrar tudo de bom que lhe ofereceu.

Desconhecemos a autoria
 
colaboração do Blog Asfalto das Horas : http://asfaltodashoras.blogspot.com

5 COMENTE AQUI:

Ingrid disse...

este teu post deveria estar ao mundo querida Mara..
beijos

incognitus disse...

Atrasadinho mas em tempo
Sobre mulheres fabulosas:

Retrato de Mãe




Uma Simples mulher existe que, pela imensidão de seu amor, tem um pouco de Deus;

e pela constância de sua dedicação, tem muito de anjo; que, sendo moça pensa como uma anciã e, sendo velha , age com as forças todas da juventude;

quando ignorante, melhor que qualquer sábio desvenda os segredos da vida e, quando sábia, assume a simplicidade das crianças;

pobre, sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama, e, rica, empobrecer-se para que seu coração não sangre ferido pelos ingratos;

forte, entretanto estremece ao choro de uma criancinha, e, fraca, entretanto se alteia com a bravura dos leões;

viva, não lhe sabemos dar valor porque à sua sombra todas as dores se apagam, e, morta tudo o que somos e tudo o que temos daríamos para vê-la de novo, e dela receber um aperto de seus braços, uma palavra de seus lábios.

Não exijam de mim que diga o nome desta mulher se não quiserem que ensope de lágrimas este álbum: porque eu a vi passar no meu caminho.

Quando crescerem seus filhos, leiam para eles esta página: eles lhes cobrirão de beijos a fronte; e dirão que um pobre viandante, em troca da suntuosa hospedagem recebida, aqui deixou para todos o retrato de sua própria Mãe.

(Tradução de Guilherme de Almeida)


Autor: Don Ramon Angel Jara - Bispo de La Serena -Chile

Sotnas disse...

Olá Mara, desejo que tudo esteja e permaneça bem contigo!
Sempre um belo texto que nos leva a reflexão.
Este texto devia ser afixado nas casas de grande parte dos habitantes deste país, pessoas que somente sabem cobrar, mas, somente por aquilo que jamais ofereceram, o maior exemplo são as cobranças aos políticos, ora vejam se quem vota por conveniência pode cobrar alguma coisa do conveniente representante que escolheu!
Parabéns Mara pelo belo espaço que sempre nos brinda com belíssimos textos e imagens.
Deveras contente por tuas visitas desejo a você e todos ao redor toda a felicidade que desejam, agradecido por compartilhar tão belos textos, grande abraço e até mais!

ॐ Shirley ॐ disse...

Que grande lição aprendemos com esse texto...Beijo, Mara!

NalvinhaFigueirôa disse...

Bela postagem Mara,

Nem sempre estamos quites com a nossa consciência, buscamos sempre o que nos satisfaz de emadiato, esquecendo que o tempo minimiza vários acontecimentos que pareciam absurdos em nossas vidas.

ÍNDICE DOS PENSAMENTOS

ÍNDICE DOS PROVÉRBIOS

ARQUIVO

NOSSO 1º PRÊMIO - SELO RECEBIDO DA VEJA BLOG OS MELHORES BLOGS DO BRASIL